Vegetarianismo: Desculpe, mas precisamos falar sobre isso

Amigos, sei que esse assunto é chato, mas, convenhamos, ele deve ser mais discutido. Estamos em Chapecó-SC, sede da Sadia e da Aurora. Por aqui é comum o tráfego de caminhões carregados de porcos. Entupidos de porcos. Tantos que nem conseguem se mover direito. Eles gritam incessantemente. Alguns se debatem. Alguns apresentam um olhar vazio, como se já tivessem aceitado a morte. Todos ali têm consciência do que os espera.

Bacon é uma delícia. Costelinha idem. Mas vale a pena o delicioso sabor às custas de tamanho sofrimento? Alguns diriam que sim. Outros viriam com o belo trocadilho “minha comida caga na sua”. Outros – aqueles que não temem a mudança – no mínimo refletiriam sobre o assunto.

Nesse momento eu choro (aahh vá tua bixa!) por realizar e sentir no fundo do meu coração quão grotesca é essa realidade. Como aceitamos esse massacre diário de seres conscientescom tamanha naturalidade? Simples. Nós não pensamos sobre isso. Esse é um convite a essareflexão que se mostra cada vez mais urgente. Não me levem a mal.

Sei que é uma bosta pensar sobre isso justamente por estar conectado a hábitos tão arraigados na nossa cultura. Nossa obrigatória mistura do dia a dia passa a ser questionada. Nosso inocente churrasqueto festivo, sob essa ótica, passa a ser um absurdo.

A pecuária nos dias de hoje, se encarada de frente, é uma coisa bizarra. Além de ser extremamente desrespeitosa com os animais, ela é uma das principais causas da devastação de áreas nativas e das mudanças climáticas.

Novamente, não me leve a mal. Não estou apontando o dedo na cara de ninguém, chamando de “carnista insensível!”. Não. Só estou chamando para uma reflexão sobre um tema que é urgente na nossa época. Aqui e agora, no planeta Terra.

Um forte abraço!

Guto Zorello

6 Respostas para “Vegetarianismo: Desculpe, mas precisamos falar sobre isso

  • Esqueceu apenas de comentar que ao limparem areas gigantes para plantar soja, alface, cebola, ou a planta comestivel que for para satisfazer um certo nicho de consumidores, também destroem matas nativas, correm animais de seus habitats, queimam ninhos de passaros e muitas outras coisas que muita gente, como voce mesmo disse, as vezes não para pra pensar. Vale a reflexão! Então nem sempre adotar o veganismo/vegetarianismo é realmente a solução para alguns problemas citados em seu texto.

  • Comentários sem profundo estudo! Cerca de 70% da produção mundial de grãos vai só para o consumo de animais para o abate. Sem contar que para fazer um quilo de carne, necessitamos de dois mil litros de água, em relação a vegetais, um quilo beira os 800 litros somente. Sem contar as zonas mortas gigantescas nos oceanos por causa de abatedouros.
    As principais causas de desmatamento na Amazônia são para pastagens sim, muito mais do que vegetais (todos esses dados foram coletados no site da FAO). Entendemos que vegetais movidos pela indústria causa um impacto gigantesco, por isso interesse maior pela luta de valorizar produtor pequeno e por preços não-abusivos. Óbvio, não é a solução 100% para os problemas da Terra, mas com certeza é uma das melhores medidas visando o campo ético e ambiental de nossa sociedade.

    • Bem colocado.
      Mas continuarei comendo carne, o problema REAL é a forma como ela é produzida que nada mais é do que um reflexo do que o capitalismo demanda.
      Até mesmo a produção de frutas e hortaliças apresentam problemas pra humanidade.

  • Carlos Duque
    2 anosatrás

    Bom dia!
    Me parece que o assunto aqui se restringe ao sofrimento causado aos animais, mas na verdade não é só isso.
    Sou cristão, creio num Deus criador de todas as coisas, inclusive dos animais e dos seres humanos.
    Quando isto aconteceu não havia animal carnívoro, pois todos se alimentavam da relva:
    E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.
    Gênesis 1:30
    O ser humano se alimentava de frutas, já imaginaram que com esta dieta ele era extremamente inteligente, tinha todos nutrientes necessários para o viver saudável.E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento. Gênesis 1:29
    Sou ovo-lácteo-vegetariano, e encontro na palavra de Deus a indicação do criador que me motiva a continuar, pois creio que a morte nunca foi um plano Dele. Parabéns pela pagina!

    • Muito bem, acho também que as algas possuem todos os nutrientes necessários para a mantença.
      Só um detalhe científico, o desenvolvimento do cortex pré frontal está relacionado com o aumento de Omega 3 na dieta de comunidades costeiras, acredita-se que o consumo de invertebrados marinhos ricos em omega 3 possibilitou essa diferenciação do Homo habilis para o Homo sapiens.
      Acredito nisso pois são fatos. =]

  • Olá!
    Muito legal a iniciativa de propor uma discussão saudável sobre o assunto.
    Particularmente sou contra o veganismo, por aquilo que acredito ser um dos princípios dele, o respeito a natureza. E outra porque também não aceito sem uma profunda reflexão idéias que limitam as escolhas pessoais em um nível moral.
    Acho que o que dificulta essa discussão é a abrangência que ela pode tomar. Não se pode simplesmente ser a favor ou contra o consumo de proteína de origem animal.
    O homem sapiens “sapiens” é um ser onívoro e faz parte da natureza, E DEVE SABER FAZER PARTE DELA.
    O problema que vejo, é que ele não sabe!!

    Como diria o Tim (Maia) : “-eu vim pra cantar e pra filosofar.- Agora eu vou filosofar!”..

    Uma pessoa que acompanha e absorve as informações passadas SOMENTE pelas grandes mídias, tende a formar opiniões, que no fundo estão baseadas em: tragédia, sofrimento, desespero, medo, sensacionalismo } ignorância manipulativa.
    Sobre o sofrimento: uma pessoa que esta habituada a ver e sentir costuma projetar.
    O mesmo vale para o resto.
    Na Medicina Veterinária, e falo aqui como um cidadão razoavelmente informado, pois apesar de formado em Medicina Veterinária (Cavalos, Abelhas, Bovinos, Ovinos, Caprinos, Cobras, Lagartos, Hamsters, Cão, Gato, Coelhos Codornas, Galinhas, Zoonoses e Suínos) busquei mais informações sobre PEIXES!!! Nela, a par da parte médica, são estudadas e apresentadas maneiras de produção que respeitem os princípios de bem estar animal. Pelo menos os princípios preconizados pelo Comitê de Ética da profissão. Dessa forma são criados os padrões para a fiscalização.
    Porque até onde eu lembro, existe, no transporte de carga animal, limites de carga e espaços que devem ser respeitados, se não estão sendo respeitados aí temos um tipo de problema. Se essas exigências estão sendo respeitadas, ou seja, o transporte esta sendo feito DENTRO DO QUE FOI PRECONIZADO*, o individuo possui a GTA (Guia de Transporte Animal) efetivamente atualizada pelo órgão competente, nesse exemplo teoricamente os animais não estão sob condições de estresse [naquele momento]. Mas se, ainda assim, é projetado o sofrimento naqueles animais, o problema passa a ser OUTRO que para ser resolvido envolve diálogo entre os técnicos, o moralismo humano e as intenções da sociedade. Enfim, o entendimento do que está sendo feito e, principalmente, SOB QUAIS ÓTICAS.
    Me parece lógico e natural que nenhum ser humano deseje o sofrimento de outro ser vivo, pois esse conceito não é evidente “no resto” da natureza. Existem sim diferentes interações, entre elas as: Benéficas para ambos envolvidos (Mutualismo, Simbiose, Protocoperação…) as Beneficas para uma parte apenas (Parasitismo, Predadorismo…) e também as prejudicias para todos.. (..Guerras…momento refleCSão).
    Acho que o desenvolvimento da sociedade alimentou uma ótica onde absolutamente TUDO deva ser COMERCIALIZADO, e dentro do aperfeiçoamento dos principios do comercio se perderam inumeros fatores cruciais sobre respeito ao que restou da vida e bem estar que formam a essência do real problema [(vale o parenteses aqui pois, princípios religiosos ja desrespeitavam a vida e disseminavam preconceito MUITO antes de existir essas noções capitalistas)].
    Esse real problema tange desde a exploração ininterrupta dos combustíveis fósseis, à produção incessante de materiais de difícil degradação =LIXO, com o supérfluo propósito de agregar moedas para algumas FAMILIAS apenas. O que as pessoas não se dão conta é o verdadeiro valor que estão pagando com isso o custo da VERDADEIRA RIQUEZA do planeta (e até então do “nosso” universo) que são as diferentes formas de vida e suas fantásticas adaptações, ou, em bom português: a BIODIVERSIDADE.
    *Quando falo das medidas preconizadas, algo interessante deve ser apontado. Algumas RELIGIÕES EXIGEM que os animais sejam abatidos de forma não condizente com os preceitos estabelecidos de bem estar animal. Isso sim gera estresse neles e é cientificamente comprovado que fisiologicamente eles não estão bem. São os abates Kosher (judaico) e os abates Halal (islã).
    Me vejo obrigado também em esclarecer algo que descobri não faz muito tempo e entendi o porque esta informação parece guardada a sete chaves.. As intermináveis monoculturas aqui do Brasil (celeiro do mundo) são na GRANDE MAIORIA UNICAMENTE para produzir grãos para alimentar animais confinados! OU SEJA!! PRODUZIMOS A DURAS PENAS RAÇÃO!! (digo isso, por causa do impacto ambiental gerado pelo modelo de monocultura, das comunidades que são deslocadas para exaurir a terra que esta ali etc, etc, etc..)
    Não concordo com isso! E acho que, se bem esclarecidos NINGUEM CONCORDARÁ! Pq mesmo com todo esse volume de “alimento” produzido, pessoas ainda morrem de fome e de sede.
    Logo, antes de querer implantar preceitos não naturais sugiro que seja feito um entendimento GERAL do que REALMENTE se está acontecendo. Para poder decidir como queremoS que seja feito e que custo teremos que pagar.
    Do jeito como está, vejo a sociedade dos grandes centros urbanos preocupada, com medo e indiferente na sua essência. Basta andar nas ruas e reparar nas expressões faciais das pessoas.

    Contudo, acredito que as interações entre os seres humanos estejam atingindo patamares antes inimagináveis e é desta forma mesmo, através de comunicação e respeito as escolhas individuais que ALCANÇAREMOS (a nível de planeta) um lugar legal para se viver e ser feliz. Claro que respeitando ainda de algo que pode ser chamado BSTU “Bom Senso Terrestre Universal” estabelecido por essas interações…
    ..Já que estou filosofando, ainda, gostaria de aproveitar esse gancho.. bsTu, Terrestre, pois sugiro aqui que seja feita uma revisão nesse conceito, Ja que, a GRAANDE maioria da vida e do espaço no planeta é ocupado e só existe devido a AGUA!!! Logo, BSAU “Bom senso Aquático Universal” ;] .
    ——————————-Guiné-Bissau, Moçambique e Angola!!—- tchuuru tchu,tchu,tchuru!—————————-

    Existe já alguma idéias despontando que se enquadram em um mundo mais sapiens, só procurar, pq não?

    Depois desse momento desabafo, quero retomar chamando atenção para principais tópicos:
    Fim das monoculturas;
    Incentivo as Energias renováveis;
    Políticas não excludentes;
    Fim dos governos representativos;
    Fim da cultura da ostentação;
    Valorizar as verdadeiras riquezas do planeta e quem as respeita.

Comente aqui!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *